• Ligue agora: (31) 3776-5116| (31) 99741-1158
Calçada de Pedra Portuguesa

Quando uma casa é construída ou reformada, um dos elementos que recebe menos atenção normalmente é a calçada. Todavia, por questões de segurança e estética, precisamos ter consciência de que esse item é fundamental. Seja para o trânsito de veículos e pessoas ou para aprimorar o visual da fachada do imóvel, precisamos escolher o material adequado para revesti-lá. Seja a calçada de pedra portuguesa, nossa queridinha, seja com qualquer outro revestimento que o agrade.

Embora a calçada seja uma área pública, ela é de responsabilidade do proprietário do terreno com a qual se limita. Por isso, seguir as normas estabelecidas pelo Plano Diretor do seu município é um procedimento indispensável. É nele que encontramos as regras sobre tamanhos, alturas e outras especificações.

A variedade de materiais disponíveis para o revestimento de calçadas é grande no mercado. Isso abre espaço para que possamos diversificar nos pisos, cores e texturas, escolhendo um modelo que se adeque ao nosso gosto pessoal e dê um toque personalizado a um espaço tão trivial.

Além disso, é importante lembrar de criar uma continuidade com as calçadas do interior dos muros. Também não podemos esquecer de intercalar com áreas verdes, caso tenha, para que a água da chuva seja drenada e não crie acúmulos.

Nesse sentido, vamos conversar hoje sobre as calçadas de pedras portuguesas. Você vai perceber como essa alternativa é interessante, bonita e possui um excelente custo-benefício. Ainda vamos compará-la com outros tipos de pisos e revestimentos, para que você tenha ainda mais argumentos para sua escolha. Vamos nessa?

Calçada de pedra portuguesa – um breve histórico

Compre Calçada de Pedra Portuguesa na Construbel PedrasOs primeiros registros do uso da calçada de pedra portuguesa são da virada do século XV para o século XVI, em Lisboa. Para receber uma comitiva estrangeira, o rei ordenou que a lama dos passeios públicos fosse calcetada pela primeira vez.

Com o passar dos séculos, a técnica foi aprimorada. No início do século XIX, já era muito mais sofisticada e acabou ganhando o mundo. Países com influência portuguesa, como o Brasil, receberam as calçadas de pedra portuguesa em grandes praças e espaços públicos.

A praia mais famosa do mundo, a de Copacabana no Rio de Janeiro, por exemplo, conta com o desenho “mar largo” em mosaico português. Outras capitais como São Paulo e Curitiba, bem como cidades do interior, também fazem uso do mesmo revestimento em suas praças e calçadas.

O tempo tem passado, mas a calçada de pedra portuguesa continua sendo a preferida em ambientes públicos. Mas não se engane, ela também faz um ótimo recurso para espaços privados. Isso se deve à sua resistência, durabilidade e versatilidade. São inúmeros os padrões e ornamentos possíveis de se realizar com tal material e as diversas cores disponíveis.

Comparando a calçada de pedra portuguesa com outros revestimentos

Inúmeros especialistas declaram-se favoráveis ao uso de pedras naturais na construção e revestimento de calçadas. Nesse contexto, as pedras portuguesas são as mais indicadas. Contudo, conheceremos essa e outras opções, a partir de agora, para te ajudar na decisão de qual é a melhor opção.

1. Calçada de pedra portuguesa

Calçada de Pedra Portuguesa

Conforme já mencionado, a calçada em mosaico português é um revestimento tradicional e atemporal. Por ser muito resistente e durável, tem saído dos espaços públicos diretamente para as calçadas e garagens de residências privadas.

O modelo mais utilizado é em pequenos cubos pretos e brancos intercalados. Entretanto, há outras inúmeras opções de cores e variações. Possui um charme especial que valoriza a entrada da casa, além de ser muito funcional. Funcional porque apresenta um bom atrito com os pneus, evitando derrapagens em rampas ou outros acidentes com quem transita na calçada de pedra portuguesa molhada. Além disso, não provoca barulhos incômodos durante as manobras.

A manutenção também é muito simples e não requer cuidados especiais. Basta uma limpeza periódica para remover a sujeira proveniente do automóvel ou dos passeantes, assim como do acúmulo de poeira entre as pedras.

E para não falar que tudo são flores com a calçada de pedra portuguesa, a colocação das pedras é quase artesanal e, portanto, mão de obra especializada pode ser necessária para que o resultado final saia como o esperado.

2. Blocos de concreto

Calçada com Blocos de Concreto

Uma alternativa de revestimento para calçadas e garagens que tem se popularizado muito nos últimos anos consiste em blocos de concreto intertravados. Por serem relativamente baratos, acabaram conquistando os mais econômicos. Apresentam-se em formas geométricas variadas, como as quadradas, hexagonais e retangulares.

Os blocos de concreto também servem como revestimento para calçadas por ser permeável, resistente e antiderrapante. Entretanto, o tempo de execução da obra é um pouco maior e, consequentemente, o custo de mão de obra é mais elevado.

3. Concregrama

Calçada Concregrama

O concregrama, também conhecido como bloquete, consiste numa malha vazada de concreto. Os espaços livres são preenchidos com grama para que absorva a água da chuva com facilidade. Essa estratégia vem sendo utilizada em estacionamentos, garagens e calçadas.

Uma das principais vantagens desse tipo de revestimento para calçadas é a atenuação do calor na construção. Mas as desvantagens também chamam nossa atenção. Principalmente no que diz respeito à manutenção da grama. As mulheres também costumam se queixar do uso de sapatos de salto nesse tipo de superfície, que é motivo de vários acidentes.

Ai você deve estar pensando: mas a calçada de pedra portuguesa também pode haver buracos na superfície que provoquem acidentes.

4. Cerâmicas e porcelanatos

Calçada com Piso de Cerâmica ou Porcelanato

Uma outra alternativa à calçada de pedra portuguesa são os pisos de cerâmico e porcelanatos. Como estamos pensando aqui numa alternativa para calçadas, existem opções emborrachados e antiderrapantes desses revestimentos. Porém, o que faz com que muitos reclamem a respeito é o preço e a dificuldade na higienização do material.

Quando há vazamento de óleo ou até mesmo marcas simples de pneus, é muito difícil a remoção das manchas – o que não acontece, por exemplo, com a calçada de pedra portuguesa. O barulho que alguns tipos causam quando entram em atrito com a borracha também é alvo de críticas. Além disso, vale lembrar que ele é mais adequado para áreas internas e não cai bem em calçadas do lado de fora do portão.

5. Cimento queimado

Calçada de Cimento Queimado

O cimento queimado é um tipo de piso muito resistente. Dificilmente ele é danificado, ainda que haja uma grande circulação de pessoas e veículos. Além do mais, o cimento queimado nada mais é do que a base (contrapiso) da obra. Então, não há excesso de resíduos e materiais na sua instalação.

Os problemas relatados por quem opta por esse tipo de revestimento dizem respeito a porosidade do material, que impregna as sujeiras nele derramadas. Ele também é extremamente rígido e gelado, o que causa desconforto em dias frios. O barulho do atrito dos pneus também pode ser um agravante, principalmente durante as manobras de entrada e saída da garagem.

Viu só? Diante de todos os argumentos apresentados até aqui, fica fácil de concluir que a calçada de pedra portuguesa é uma solução muito mais prática, bonita, versátil e funcional. Ainda tem dúvidas sobre esse revestimento? Confira os outros artigos sobre a pedra portuguesa em nosso blog ou entre em contato conosco! Será um prazer ajudá-lo a construir ou reformar a sua casa.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*